.....

Pará/Brasil

domingo, 29 de março de 2020

Coronavírus: A inevitável chegada da crise ao Brasil e a postura do Presidente Bolsonaro



Administrar coisa pública nunca é fácil. Seja um pequeno município, uma secretaria, um departamento, um quiosque de informações etc. Muito mais complexo é, sem sombra de dúvida, administrar um país inteiro.

O Brasil está no início daquilo que pode significar a maior crise da história do país e nesse momento tão delicado, definitivamente, temos um Presidente da República que consegue se superar diariamente em suas atitudes insanas. Contudo, dessa vez, está irresponsável e criminosamente colocando em risco a segurança de toda a população que ele deveria atuar para proteger.

E antes que alguém venha dizer que o blog é “petista” ou acredita que se fosse o Haddad o Presidente seria diferente. Não, nada disso. Por favor, se você ainda pensa assim, de forma binária, vá se tratar no mesmo psicanalista da família Bolsonaro. O blog não perde tempo pensando se fosse cicrano ou beltrano seria melhor. Temos que pensar para frente. Saia desse mundinho. 

Atualmente, o Presidente do Brasil é o Bolsonaro e é dele que devemos esperar atitudes coerentes e responsáveis para enfrentar a crise que assola o mundo e agora chega ao Brasil.

Presidente Jair Bolsonaro


O Presidente Bolsonaro já demonstrou inúmeras vezes não possuir suas faculdades mentais em dias. Aliado desde o início do projeto de candidatura à Presidência da República, Gustavo Bebianno, falecido recentemente de ataque cardíaco, ex-advogado da campanha eleitoral e ex-ministro do Governo Bolsonaro, deixou carta para ser divulgada após sua morte e nela consta algo que todos que conhecem os corredores da política no Distrito Federal ou acompanha de perto a política nacional já sabiam: a família Bolsonaro vive uma permanente teoria da conspiração alimentada desde sempre pelo patriarca, o Presidente Bolsonaro. Veja um trecho importante da carta:

BEBIANNO:
Carlos vive em uma prisão mental e emocional. Ele sofre intensamente em função do próprio ódio. Ele cultiva esse ódio contra tudo e contra todos, principalmente contra as pessoas por quem o senhor demonstra AFETO. E o senhor também sabe dessa VERDADE. Ele é consumido pelo ódio 24 h por dia, independentemente do que esteja acontecendo no mundo real.
A despeito do que, de fato, esteja acontecendo no mundo real, por melhores que possam ser as circunstâncias, Carlos continua odiando e sofrendo. Mesmo o senhor tendo alcançado o objetivo de ser eleito, ele permanece odiando. Ele aprendeu a ser assim e não sabe fazer de outra forma. Não é por mal, ele não tem culpa, simplesmente não sabe fazer diferente.
E o senhor tem alimentado essa situação. E isso só vai mudar quando o senhor RECONHECER A VERDADE.
Para manter o vínculo afetivo com ele, para manter a conexão física e emocional, o senhor embarca nessas fantasias, nessas paranoias, nas eternas teorias de conspiração.
Bolsonaro, apesar de ser ex-militar, faltou a todas as aulas mais elementares sobre estratégia militar em guerra, pois, como se sabe, uma das mais básicas instruções é justamente não se abrir várias frentes de batalha, justamente o contrário do que Bolsonaro pratica diariamente, abrindo fogo insanamente contra a imprensa, contra o Congresso Nacional, contra o STF, contra adversários, contra aliados, contra neutros, contra os próprios ministros, contra grandes parceiros comerciais do Brasil, contra todos os Governadores, contra milhares de Prefeitos etc, etc, etc. O isolamento político do Presidente é algo inevitável.






Desde o início do Governo, o Presidente é o maior gerador de crises. Ao longo desses 15 meses de Governo Bolsonaro, por muito pouco o país fica enormes 3 dias sem crise criada pelo Presidente, foi quando Bolsonaro extraiu um dente e o dentista recomendou que ele ficasse 3 dias calados. Mas ele não aguentou e abriu a boca antes do período sugerido pelo profissional.

Mas voltando à outra crise, a do Coronavírus, infelizmente, o Brasil não possui um líder que possa conduzir a nação nesse momento difícil. Temos, por outro lado, um Presidente da República que fala em cadeia nacional que o Coronavírus é apenas uma “gripezinha”, ou no, máximo, um “resfriadinho”. Bolsonaro, com seu discurso na contramão do mundo, fez o seu principal Governador aliado, Ronaldo Caiado, de Goiás, romper politicamente, pois seu discurso foi de encontro com tudo aquilo que o Governador Caiado e todos os demais Governadores do Brasil estavam trabalhando em seus respectivos territórios, sempre no intuito de preservar vidas, mesmo sem esquecer do inegável abalo na economia e geração e empregos. 

Contudo, é preciso encontrar um equilíbrio e é justamente aí que a união de forças entre as três esferas de Poder (municípios, Estados e União) faria a diferença. Mas, infelizmente, não possível até o presente momento, pois a única coisa que o Presidente Bolsonaro consegue ver na sua frente é a reeleição 2022 e ele entende que se a economia desaquecer sua reeleição estará comprometida, motivo pelo qual ele a todo custo dissemina desinformação e fake news nas redes sociais para fazer a população levar a vida "normalmente".

O discurso e o comportamento irresponsáveis do Presidente Bolsonaro ignoram as mais elementares orientações técnicas da Organização Mundial da Saúde e, pasmem, do seu próprio ministro da saúde, Henrique Mandetta.