.....

Pará/Brasil

domingo, 31 de julho de 2011

PMDB tem pré-candidato em Conceição do Araguaia


Jair Martins

O PMDB de Conceição do Araguaia provavelmente lançará o nome do empresário Jair Martins, proprietário da Rádio Terra FM, ao cargo de prefeito em 2012.
Jair já iniciou suas tarefas de pré-candidato e tenta articular-se com lideranças locais e regionais para garantir sustentação à sua candidatura.
Ao filiar-se no PMDB teve a visita de Jader Barbalho, presidente estadual do Partido e Senador eleito nas eleições 2010, mesmo a contra-gosto do Ministro Joaquim Barbosa.
Jader, juntamente com uma comitiva do Partido, fez visitas em alguns municípios do sul do Pará para relembrar seus correligionários que o PMDB não abrirá mão das candidaturas majoritárias no extremo sul do Estado.
Provavelmente seguindo orientação de seu presidente estadual, Jair Martins tratou de vestir seus trajes oficiais de verão e passou a frequentar as praias de Conceição do Araguaia cumprimentando veranistas que ali se encontram, numa evidente estratégia de ganhar visibilidade. São as Eleições 2012 a todo vapor.

Mais do mesmo: a perpetuação do feudalismo nas eleições 2012


O Feudalismo  foi um modo de organização social e político baseado nas relações servo-contratuais (servis) e tem suas origens na decadência do Império Romano. Predominou na Europa durante a Idade Média (476/1453).

Feudo é a terra outorgada por um suserano ao vassalo, em troca de fidelidade e ajuda militar.



As características gerais do feudalismo são: poder descentralizado, economia baseada na agricultura de subsistência, trabalho servil e economia amonetária e sem comércio, onde predomina a troca (escambo).
Atualmente, fazendo uma comparação entre o feudalismo apresentado nos livros de história e o que se percebe numa simples análise da realidade política de praticamente todas as cidades do sul e sudeste do Pará, tem-se que o feudalismo continua forte e longe de acabar no Estado.

Há o feudalismo a nível estudual, que funciona durante as eleições gerais, e o feudalismo municipal, que funciona nas eleições municipais.

Os senhores feudais são sempre os mesmos, detentores do poder político e, via de regra, também do poder econômico. Os vassalos, via de regra, também são sempre os mesmos, subalternos em busca de pequenos espaços para chamar de seu.

Nessa relação de eterna dependência, com uma ou outra modificação ou exceção, os grupos políticos vão se preparando para as disputas eleitorais que ocorrem a cada dois anos sem que a parte mais interessa no bom trato da coisa pública tome providências para mudar a precária situação.

Infelizmente, a população brasileira ainda vê com desdém a temática “política” e se distancia de tudo aquilo que envolve o tema para não se ‘contaminar’ com o odor que o mesmo exala. Porém, mal sabe aquele que assim se comporta que está contribuindo para a perpetuação das coisas ruins que vê e ouve nos telejornais.

A “apatia é o pior mal da política”, como bem disse um dos maiores cientistas políticos contemporâneos, Norberto Bobbio. Realmente,  ao se distanciar do meio político, os “bons” permitem que os “maus” dominem o cenário político de tal forma que reverter o quadro para o lado do bem fica cada vez mais complexo.

Abrir mão do conforto de casa, com a presença da família e amigos, como o pouco tempo que sobra numa sociedade corrida como a que vivemos, é certamente difícil, principalmente quando a troca é para tratar de “política”.

Contudo, ou a sociedade trata de se organizar para participar mais ativamente do jogo político ou então terá que se contentar em ser eterna refém, pois já dizia Arnold Toynbee, historiador britânico do século 20:

"O maior castigo para quem não gosta de política é ser governado pelos que gostam."

sábado, 16 de julho de 2011

Zé Carlos, de Água Azul do Norte, filia-se ao PTB

 
Mário Moreira e Pedro Lima

O produtor rural, Zé Carlos, migrou no último mês para o Partido Trabalhista Brasileiro – PTB de Água Azul do Norte e assumiu a presidência do Partido. 
Zé Carlos conduzirá o PTB nas Eleições 2012 juntamente com seu vice-presidente, vereador Netinho, liderança política da Vila Canadá.
Zé Carlos foi candidato nas Eleições 2008 e obteve 1.964 votos, ficando na terceira colocação com apenas 61 votos de diferença para o segundo colocado.

Zé Carlos

Amigo de longa data de Pedro Lima (PTB), de Redenção, Zé Carlos foi escalado para coordenar a campanha de Mário Moreira (PTB) em Água Azul do Norte e cidades adjacentes. Missão aceita e bem cumprida. A partir de então, os convites para que Zé Carlos ingressasse nas fileiras do PTB foram constantes.

Zé Carlos, como não poderia deixar de ser, pediu licença à liderança do Partido na Cidade, vereador Netinho, e ambos irão comandar o PTB no pleito municipal de 2012.

quarta-feira, 13 de julho de 2011

É o amor.....



O líder do PMDB na Câmara, Henrique Eduardo Alves, encomendou um bolo para comemorar a aliança entre  PT e PMDB. Na última reunião da base aliada no primeiro semestre, realizada nesta terça (12), Alves levou um bolo que trazia no topo  os bonecos da presidente Dilma Rousseff e do vice-presidente Michel Temer. Abaixo, a frase 'Amor à 15ª vista', e as siglas dos dois partidos. A ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, participou do encontro.
Foto: Gustavo Miranda/Fonte: http://g1.globo.com/politica. Agência O Globo.

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Da Redivisão do Estado do Pará (Parte I)

O Blog, a partir de hoje, vai iniciar uma série de postagens referentes à redivisão do nosso amado Estado do Pará, externando suas opiniões e fazendo as ponderações que achar necessárias.
Antes de qualquer coisa, o autor do texto é paraense, nascido e criado na capital, a linda Belém do Pará, terra das mangueiras, do tacacá das 15h, da terra do açaí (antes ou depois do almoço), do fantástico Círio de Nazaré, da deliciosa maniçoba, do Museu Emílio Goeldi, do Bosque Rodrigues Alves, do tão falado Ver-o-Peso, do Forte do Castelo, do lindo Teatro da Paz, da histórica Basílica de Nazaré, das Estações das Docas......
Pois bem, por acreditar que já se conseguiu demonstrar de qual cidade está se falando, voltemos ao ponto principal da postagem, a redivisão do Pará.
Até janeiro de 2010, quando sai de Belém, recordo-me que o assunto “(re) divisão do estado” era algo tão distante dos belenenses que o assunto era de pouco destaque nas rodadas de amigos. Não tínhamos, nós belenenses, noção de que se tratava do principal assunto das regiões conhecidas como Carajás e Tapajós.
Lembro-me que, ainda acadêmico, alunos do curso de Jornalismo da Unama BR promoveram um belo evento no auditório principal da Universidade tendo como tema: a (re)divisão do Pará.
Dois grupos se formaram: de um lado da mesa de trabalho, os defensores da divisão, de outro lado, os contra a divisão. Como não poderia deixar de ser, cada um dos lados mostrou os dados que lhes eram mais convenientes.
O evento despertou a curiosidade de acadêmicos de vários cursos, o que fez lotar as dependências do auditório. Durante os debates, por óbvio, todos os presentes comportaram-se muito bem, mas foi no final do debate, quando abriram as perguntas aos discentes, que algo diferente ocorreu, como se fosse algo ensaiado.
Um determinado aluno presente no evento, perguntou a cada um dos debatedores favoráveis a divisão do Pará em qual estado brasileiro eles haviam nascido....eis que cada um deles respondeu: Minas Gerais, Acre e Amazonas.
O “aaaaaahhhh”..... de “indignação” ecoou no auditório como um coral bem treinado. Era o desfeche perfeito para o grupo contrário a divisão.
Nos primeiros dias de 2010, o Autor veio de mudança para o sul do Pará, mais precisamente para Redenção. Porém, devido os trabalhos, tive e tenho a oportunidade de viajar todos os 39 municípios que compõem o tão sonhado estado do Carajás e passei a ver de perto o anseio dos habitantes de cada cidade.
Em Belém, fui criado na periferia, no bairro da Marambaia, quem conhece sabe bem como era a realidade há alguns anos, antes da macrodrenagem. A realidade era cruel, bastava dar a previsão do tempo no noticiário para inundar a rua de casa.
Vendo de perto as mazelas do chamado “Carajás” lembrei-me, imediatamente, das mazelas existentes em Belém, principalmente, na sub-Belém. Sempre falei aos mais próximos que existe uma Belém dentro da Belém. É a sub-Belém, é o submundo onde impera a violência, a tráfico, a prostituição infantil, onde as gangues matam para demarcar seus territórios, é onde o álcool e as drogas entram e destroem famílias inteiras sem pedir permissão, é onde o pobre que adoece precisa agarra-se com seu padroeiro e pedir ao seu Deus para sair vivo porque sabe que não encontrará médico no posto de saúde, é o local onde o pobre tem a mais profunda certeza que nasceu para sofrer, que está nesse mundo apenas para ocupar espaço e que não adianta reclamar muito, pois pode perder o pouco que ainda lhe resta...
Nesse momento, há quem possa dizer que: “então, se tanto na capital como nas cidades do interior a realidade é a mesma, por que dividir ???”
....Pois bem, o raciocínio que esse belenense possui é exatamente o seguinte: “então, se nós, da capital, não conseguimos cuidar nem mesmo daqueles que estão sob os nossos olhares, daqueles que estão dentro do alcance dos nossos braços, daqueles que se acham amparados pela manta do centro do poder, daqueles que, em tese, deveriam ter uma realidade bem menos problemática do que a atual, logo, por que NÃO redividir ???








Já vimos ambos os lados, pró e contra, apresentarem seus números, pesquisas, dados, ângulos e fórmulas. Há quem diga que alguns agentes políticos estão em busca de cargos, de novas cadeiras no jogo do poder, novas “canetas” que surgirão, que o Governo Federal terá um gasto considerável durante alguns anos, que o custo é inviável, que isso, que aquilo.
Porém, infelizmente, o que não se vê é o ator principal dessa novela ser citado nos números frios apresentados pelos dois lados. Esse ator principal é o SER HUMANO.
Somos nós, seres humanos, que precisamos de melhores condições de vida, somos nós, seres humanos, que precisamos de uma melhor educação, de mais saúde, de mais dignidade, de mais respeito.
Somos nós, seres humanos, o ator principal dessa história. As coisas positivas e negativas executadas nesse mundo recaem sobre nós mesmos. Somos o côncavo e o convexo. Somos nós, seres humanos, os dois lados da mesma moeda.
Quando vejo algum agente político da nossa capital falar que os agentes políticos do Carajás ou do Tapajós querem, realmente, é o poder, me vem à cabeça o seguinte: “será que esse agente político da capital não quer redividir justamente porque NÃO quer “dividir” o seu poder, o poder que já possui em mãos ???”
É óbvio que não quer dividir, é óbvio que é interessante que o poder do Pará continue com meia dúzia de pessoas. Enquanto isso, que se dane o povo, que se explodam as gerações de miseráveis que nascerão e viverão na miséria.
Os números apresentados pelas últimas pesquisas desfavoráveis à redivisão tentam nos convencer de que os estados do Carajás e Tapajós já nascerão com déficit. Porém, os números até agora apresentados, fazendo um paralelo com os noticiários dos últimos dias, não chegam a 1% do dinheiro que foi jogado (na verdade, bem jogado para alguns) pelo ralo da corrupção. Dinheiro público que enriqueceu meia dúzia de pessoas.


          





Aí eu pergunto, é justo falarmos de míseros reais quando o que está em jogo é o futuro de milhares de pessoas, de crianças a idosos? Mais ainda, estamos falando não só das pessoas que residem nessas regiões, atualmente, mas também de gerações futuras que, inevitavelmente, padecerão caso essa realidade permaneça do jeito que está.
Acima falamos das parecidas realidades existentes entre as cidades do interior do Estado, mais precisamente na região do Carajás, com a realidade vivida na própria capital. Porém, um detalhe importante para se destacar é a gritante diferença dos mecanismos de ajuda. Os habitantes da capital possuem, se comparando com o interior, um leque considerável de opções para suprir algumas necessidades básicas que o Estado deixa de oferecer ou oferece com a qualidade que lhe é peculiar, infelizmente.
Porém, o habitante da “cidadezinha” do interior não tem com quem e onde se socorrer quando a dificuldade mais acentuada lhe bate à porta, principalmente quando diz respeito à saúde. O Ministério Público tenta, aguerridamente, fazer sua parte da melhor maneira possível, mas sabemos que as condições de trabalho dos heróicos promotores não são das mais favoráveis.
Resta ao pobre enfermo socorrer-se com “seu político” mais próximo para conseguir chegar até Belém. Daí em diante, enfrentará mais uma luta angustiante, a busca por um leito em algum hospital público. Quando muito, consegue chegar em Belém, devido à influência de “seu político”, já cadastrado e com um leito à sua espera. Mas isso é exceção.
A velha política do “toma lá da cá” continua eficiente nessas localidades. Infelizmente, acreditar numa mudança substancial nesse sentido é praticamente impossível.
Nossa linda e amada Belém está longe de ser uma capital top de linha, longe mesmo. Costumo dizer que somos, hoje, frutos do que fizemos ontem e seremos, amanhã, consequências do que fizermos hoje. Logo, o que vivemos atualmente no Brasil é fruto de um passado desastroso, de uma herança colonial destruidora.
Porém, para o bem de poucos e infelicidade geral da nação, está-se plantando uma política cada vez mais excludente, onde a mentira é pregada com tanta veemência que se torna verdade.
É claro que a redivisão desse gigantesco Pará não trará, imediatamente, a mudança que o povo dessa região precisa, porém, é certo também que se continuar do jeito que está o progresso indubitavelmente virá à passos de formiga e sem vontade, como sempre foi.

......continua.....

sábado, 2 de julho de 2011

O criador e a criatura....











Kadafy: Oi, tudo bem ?
- Bagaço da laranja: oi, não, não estou nada bem.

Kadafy: Por que ? o que aconteceu ?
- Bagaço da laranja: sei não, estou me sentindo usado e sem utilidade.

Kadafy: não se sinta assim, tenha calma, a vida é feita de opções.
- Bagaço da laranja: é verdade, e acho que não tenho mais como mudar a minha.

Kadafy: então relaxa e goza.
- Bagaço da laranja: gozar ? como ? estou todo lascado.

Kadafy: acalme-se, do jeito que os ambientalistas querem aproveitar tudo nesse mundo, deve existir algo para aproveitar, inclusive, você.
- Bagaço da laranja: lembro de quando eu era jovem e útil, que tempo bom.

Kadafy: quem vive de passado é museu, acorde, você não serve para mais nada, ainda respira porque não paga-se imposto para tanto.
- Bagaço da laranja: é verdade, deixa eu continuar na minha vida de bagaço, tchau.

Kadafy: tchau!!!

Prefeito Valber, de Bannach, acompanha comitiva Kayapós à Brasília


    O Prefeito Valbetânio Milhomem, de Bannach, acompanhou comitiva da Tribo Kayapós ao FNDE, em Brasília, no último dia 22/06.

     A luta, dessa vez, é pela construção de uma escola indígena. Houve a proposta do FNDE em construir uma escola de aproximadamente um milhão de reais, porém há necessidade do Município “devolver” um recurso conseguido no passado, o qual, por sinal, tornou-se motivo para ajuizamento de ação judicial pela atual administração.

    Entretanto, Bannach encontra-se com sérias dificuldades para resolver tal pendência pelo fato de sua arrecadação mensal não ultrapassar R$ 500 mil reais, sem contar com o pagamento funcionalismo público.

(foto e texto baseado na postagem publicada no blog do deputado Cláudio Puty (http://claudioputy.blogspot.com)/).

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Alegria, ex-prefeito de Santana do Araguaia, continua na presidência do PSDB


     Mesmo após renunciar seu mandato de prefeito, o ex-prefeito de Santana do Araguaia continua na presidência do PSDB local.
    O diretório estadual do PSDB, que tem legitimidade para renovar as comissões provisórias municipais perante o TRE-PA, renovou a diretoria do PSDB de Santana do Araguaia tendo o senhor GILCLEIDER ALTINO (ex-prefeito Alegria) como presidente, até a data de 13/04/2013.
    Porém, Santana possui três vereadores do PSDB, são eles: José Henrique Pinto dos Santos, Antônio Braz Correia e Alexandre Magno Miranda e Silva.
   Há rumores que os vereadores não estão contentes em perder a presidência do Partido pelo fato de possuírem mandato e estariam dispostos a procurar a direção regional para reverter a situação.
    Pelo sim, pelo não, Alegria é o representante legal do PSDB de Santana do Araguaia, atualmente.

Em Xinguara, Vereador Ari é pré-candidato pelo PTB


     Recentemente, muitos boatos circularam no Município de Xinguara sobre a saída do Vereador Ari do PTB. Porém, tudo não passou de boatos. Ari continuará no PTB e é o pré-candidato a prefeito pela legenda.

    Vereador atuante no Município de Xinguara, Ari já conta, em prol de sua pré-candidatura, com o apoio de várias lideranças locais e regionais.

    Por ser um Município pólo da região sul do Pará, os habitantes de Xinguara já respiram o clima da pré-campanha eleitoral ouvindo rumores de possíveis pré-candidatos.

    Ao que tudo indica, o PTB está tentando reforçar suas bases eleitorais nas regiões sul e sudeste do Pará, programando-se para lançar diversos candidatos ao cargo majoritário nas Eleições 2012.

    Em Xinguara, outros nomes que surgem como possíveis candidatos para a corrida eleitoral de 2012 são: Osvaldinho Assunção (PMDB), Dr. Moacir (PDT), Amarildo Paulino (PSDB) e Valdir Manoel (PT).