.....

Pará/Brasil

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Café com Mario Moreira (parte II)



Pois bem, amigas e amigos do Café com Política, hoje daremos continuidade ao bate papo que tivemos com o diretor da ADEPARÁ, Mário Moreira.

Com vocês, Mário Moreira...

(Continuação...)

A Guia de Trânsito Animal (GTA) eletrônica foi uma das maiores conquistas da nossa gestão. Buscamos um bom relacionamento com todos os sindicatos rurais. Montamos stand’s da ADEPARÁ em diversos parques de exposição e agora pretendemos implantar a ADEPARÁ nas escolas.

A mudança implantada na gestão da ADEPARÁ, agregada com outros fatores, possibilitou a tão sonhada mudança de status, ou seja, colocar o Pará inteiro como livre de aftosa com vacinação.

A administração pública é complexa, não há como se governar sozinho. Entendemos que é primordial a delegação de tarefas, a descentralização das funções, sempre buscando dar melhores condições de trabalho para que a equipe possa encontrar as soluções mais adequadas para as demandas que surgem diariamente.

BLOG CAFÉ COM POLÍTICA: Mário, você está a frente de um órgão estadual, logo, não tem como ficar diariamente em Redenção. Pelo que percebemos, sua agenda é bastante movimentada e você fica permanentemente no trecho Belém-interior-Brasília-Belém. Dessa forma, como um observador externo, como você avalia a atual situação de Redenção?



MÁRIO MOREIRA: Bem, realmente, o dia-a-dia frente da ADEPARÁ é intenso. Sempre fiz questão de ver pessoalmente a real situação da Agência no interior do Estado, por isso nossa agenda é bastante movimentada com viagens pelos municípios onde possuímos sedes.

Nossas viagens à Brasília são necessárias devido ao grande trabalho realizado pela nossa equipe para conseguir os convênios com o Governo Federal, o que já rendeu bons frutos para a ADEPARÁ.

Quanto à Redenção, vejo que a Cidade está passando por um intenso jejum, principalmente no setor da educação. Eu havia celebrado um convênio com a Universidade Federal Rural da Amazônia para implantar uma universidade federal em Redenção, porém, infelizmente, isso não se concretizou devido a falta de interesses de outros agentes políticos.

Redenção poderia ser o maior pólo universitário da região, mas, ao contrário, Redenção vem perdendo espaço, perdendo escolas técnicas, universidades federais, e tudo isso tem prejudicado bastante o crescimento da Cidade.

Enquanto prefeito, lembro-me que conseguimos inúmeros convênios com os Governos Estadual e Federal. Conseguíamos celebrar os convênios porque trabalhávamos para isso, havia dedicação, interesse de toda equipe. Sabíamos que só conseguiríamos iniciar a transformação que Redenção precisava se fôssemos em busca de recursos externos, pois a prefeitura, por si só, não suportava bancar sozinha os investimentos.

Apenas chorar as dificuldades não basta, é preciso trabalhar muito.

É justamente por isso que todo gestor precisa ter um bom relacionamento para poder transitar em Belém e em Brasília. Porém, infelizmente, há agentes políticos, administradores da coisa pública, com uma dificuldade incrível de se relacionar, prejudicando toda sua gestão.

A título de exemplo, meus amigos do Café com Política, hoje eu tive uma reunião com o Secretário de Educação do Estado, juntamente com alguns diretores de escolas de Redenção e conseguimos uma vitória incrível junto ao Governo Estadual, pois além da autorização das reformas e ampliação de algumas escolas, conseguimos também uma escola nova de ensino médio, além de outros objetos que as escolas precisavam.

Na área da educação, enquanto prefeito, conseguimos implantar a escola Maria Benta, UEPA e FESAR, as grandes creches e a Escola Agrotécnica. Eu acredito que a educação é o futuro. Precisamos buscar a excelência na educação. Precisamos levar a faculdade de medicina para Redenção, precisamos levar as universidades de agronomia e veterinária, engenharia florestal, zootecnia, pois Redenção tem vocação agrícola.

(Continua...)


Um comentário:

Anônimo disse...

Olá, fiquei muito feliz pela descoberta deste blog. Sou seguidor do mesmo há pouco tempo, o encontrei por o caso há uns três dias atrás, pois estava precisando de alguns comentários sobre a nossa atual gestão para saber como anda nossos representantes. Sou praticamente filho deste município, moro aqui já faz doze anos, me formei no curso Técnico em nossa Escola Agrotécnica Antonieta de Lourdes, que um dia foi referência em nossa região, e nos últimos “sete anos” vem se degenerando a cada dia, e nos dias atuais só existe apenas um grande descaso e abandono por parte dos gestores.
Com a Graça de Deus e um esforço da minha parte consegui entrar em uma universidade pública. Entrei no ano de 2008, na Universidade do Estado do Pará (UEPA) para constituir a “terceira e ultima turma” de Engenharia Ambiental, curso este que é de vital importância para o desenvolvimento econômico e sustentável de nossa região; curso este também, que consumiu muito esforço de pessoas compromissadas com o desenvolvimento humano e social deste município. Tenho orgulho de estudar nesta instituição, e que este ano com a permissão de Deus eu concluo o mesmo pronto para atuar no mercado de trabalho. Mas não pensem que tudo foi um mar de rosas, no decorrer deste curso (de 2008 a 2012, quase cinco anos), brigamos, protestamos, pedimos ajudas para todas as entidades para conseguir manter o curso aqui, porém os esforços não foram suficientes para convencer a reitoria que Redenção, que os estudantes de Redenção, merecem ter este curso sendo ofertado aqui. Hoje, perto de concluir minha graduação fica um sentimento de frustação e de tristeza, em ver que a mais de quatro anos o curso de Engenharia Ambiental não é disponibilizado para o Campus de Redenção, deixando assim nossos alunos que concluíram o ensino médio, e que gostam de tal curso, sem essa rica e grande oportunidade.
Também, Sou muito grato em fazer parte do quadro de servidores da ADEPARÁ, passei no ultimo concurso que teve, e nos últimos meses pude observa mudanças significativas em todas as áreas. Implementação de projetos visionários, (aonde muitos duvidaram e achavam que não seria possível) como GTA eletrônica, um importante e grande avanço para o setor agropecuário do Estado além das extraordinárias parcerias feitas juntos ao MAPA, projetos esses que tem como objetivo dar maior segurança e agregando valor nos produtos agropecuários produzidos aqui, em consequência, garantindo segurança aos consumidores, assegurando maior competitividade no mercado, colocando assim, o Estado do Pará em posição de destaque e liderança junto aos outros Estados produtores.
Aproveito a oportunidade para agradecer a essa equipe que compõe a Diretoria da Agência, uma equipe dedicada e influente, que não tem medido esforços na busca de parcerias e melhoria dos serviços prestados. E é como o nosso honroso Diretor Geral disse “Apenas chorar as dificuldades não basta, é preciso trabalhar muito”. Ficando aqui então, um sentimento de alegria, de confiança e de compromisso com os planos e projetos da Agência.
Um forte abraço e obrigado!

Breno Reis