.....

Pará/Brasil

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Desabafo na caixa de comentário do Blog na postagem “Café com Mário Moreira (parte II)




O Blog, ao fazer a triagem dos comentários postados, encontrou um desabafo do visitante que assinou como Breno Reis. O texto é muito interessante e resolvemos transformá-lo em postagem. Eis o conteúdo na íntegra:

“Olá, fiquei muito feliz pela descoberta deste blog. Sou seguidor do mesmo há pouco tempo, o encontrei por o caso há uns três dias atrás, pois estava precisando de alguns comentários sobre a nossa atual gestão para saber como anda nossos representantes. Sou praticamente filho deste município, moro aqui já faz doze anos, me formei no curso Técnico em nossa Escola Agrotécnica Antonieta de Lourdes, que um dia foi referência em nossa região, e nos últimos “sete anos” vem se degenerando a cada dia, e nos dias atuais só existe apenas um grande descaso e abandono por parte dos gestores.

Com a Graça de Deus e um esforço da minha parte consegui entrar em uma universidade pública. Entrei no ano de 2008, na Universidade do Estado do Pará (UEPA) para constituir a “terceira e ultima turma” de Engenharia Ambiental, curso este que é de vital importância para o desenvolvimento econômico e sustentável de nossa região; curso este também, que consumiu muito esforço de pessoas compromissadas com o desenvolvimento humano e social deste município.

Tenho orgulho de estudar nesta instituição, e que este ano com a permissão de Deus eu concluo o mesmo pronto para atuar no mercado de trabalho. Mas não pensem que tudo foi um mar de rosas, no decorrer deste curso (de 2008 a 2012, quase cinco anos), brigamos, protestamos, pedimos ajudas para todas as entidades para conseguir manter o curso aqui, porém os esforços não foram suficientes para convencer a reitoria que Redenção, que os estudantes de Redenção, merecem ter este curso sendo ofertado aqui. Hoje, perto de concluir minha graduação fica um sentimento de frustação e de tristeza, em ver que a mais de quatro anos o curso de Engenharia Ambiental não é disponibilizado para o Campus de Redenção, deixando assim nossos alunos que concluíram o ensino médio, e que gostam de tal curso, sem essa rica e grande oportunidade.

Também, Sou muito grato em fazer parte do quadro de servidores da ADEPARÁ, passei no ultimo concurso que teve, e nos últimos meses pude observa mudanças significativas em todas as áreas. Implementação de projetos visionários, (aonde muitos duvidaram e achavam que não seria possível) como GTA eletrônica, um importante e grande avanço para o setor agropecuário do Estado além das extraordinárias parcerias feitas juntos ao MAPA, projetos esses que tem como objetivo dar maior segurança e agregando valor nos produtos agropecuários produzidos aqui, em consequência, garantindo segurança aos consumidores, assegurando maior competitividade no mercado, colocando assim, o Estado do Pará em posição de destaque e liderança junto aos outros Estados produtores.
Aproveito a oportunidade para agradecer a essa equipe que compõe a Diretoria da Agência, uma equipe dedicada e influente, que não tem medido esforços na busca de parcerias e melhoria dos serviços prestados. E é como o nosso honroso Diretor Geral disse “Apenas chorar as dificuldades não basta, é preciso trabalhar muito”. Ficando aqui então, um sentimento de alegria, de confiança e de compromisso com os planos e projetos da Agência.
Um forte abraço e obrigado!
Breno Reis”




















2 comentários:

Thiago Messias Dall Alba disse...

Venho comentar saudosamente ao “Café” uma notícia que ficou “aglutinada” em meio a eufórica corrida ao pleito executivo municipal.
Refiro-me a cerca da conquista do curso de Medicina no Campus VIII de Marabá, o custo previsto para tal obra encaixa-se no valor de R$20 milhões, juntamente com a implementação do curso de Medicina se programará cursos adjacentes e criação de uma Quadra Poliesportiva e 1 piscina semi- olímpica, além da reforma do setor administrativo e a implementação do Laboratório de Qualidade em Madeira.
De fato essa vitória há de ser comemorada, porém é tardia, em Marabá ocorreu no pleito de Ana Júlia Carepa a sucessão de cursos que estavam na lista de serem fechados, entre eles, Eng. de Produção.
O então Governador do Pará, Simão Jatene não compareceu ao evento de doação de terreno para a liberação da obra, em sua ausência Nilson Pinto secretário especial do governo o representou, e a fim de representar a classe política do sul e sudeste do Pará contou-se com os nomes de Nagib Mutran, vereador de Marabá, PMDB; Maurino Magalhães de Lima, prefeito de Marabá, PR; Zequinha Marinho, deputado federal PSC-PA.
Todavia há de se questionar a respeito da infra-estrutura local para gerir tal curso, a resposta dada pelo governo é que o Hospital Regional Dr. Geraldo Veloso suprirá como “Hospital Escola”, além de questionar a respeito dos outros cursos que são sumariamente desassistidos a respeito do curso de Eng. de Produção, Eng. Ambiental, Música e o recém-implantado curso de Biomedicina que sofrem a carência de laboratórios.
No contexto federal o projeto de federalização da UFPA está a “todo vapor”, bem se for igual às obras da Copa poderemos ver tartarugas sendo velocistas, o Grupo Leolar e o Buriti Imóveis disponibilizaram na altura do KM-8, no sentido Marabá- São João do Araguaia, um amplo terreno para a sede do novo campi da UNIFESSPA.
Thiago Messias Dall Alba
Calouro de Eng. de Produção UEPA, redencense e atualmente resido em Marabá.

Café com Política disse...

Olá, Thiago Messias Dall Alba, seja bem vindo ao Blog Café com Política. Sempre que possível, visite-nos em: www.cafecompolitica.blog.br

A equipe Café com Política agradece.