.....

Pará/Brasil

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Eleições 2014 no Pará: Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come

Jatene (PSDB) X Helder e Jader Barbalho (PMDB)


Pois bem, amigas e amigos do Café com Política, o clima está cada vez mais quente nos bastidores da política estadual. As Eleições 2014 prometem fortes emoções.

A falta de verdadeiras lideranças políticas e grupos minimamente qualificados, obrigam o eleitor escolher o “menos pior” dentre os inúmeros candidatos sem noção lançados pelos partidos políticos que apenas visam o preenchimento das vagas que o partidos ou coligações podem lançar, com o intuito de atingirem o quociente eleitoral.

O PSDB, do Governador Simão Jatene, ao término de seu mandato, irá para 16 anos de poder no Pará (Almir Gabriel [8 anos], Jatene [8 anos]). Os índices da educação, saúde e segurança pública não são dos mais positivos. Pelo contrário, são alarmantes. Salvo raras exceções, a equipe administrativa parece estar cansada, apática.

Por outro lado, o cenário que o eleitor paraense visualiza também não é dos mais agradáveis, pois recolocar a família Barbalho no poder pode ser a gota d’água que falta para a coisa desandar de vez.

O PMDB de Jader e Helder Barbalho sempre se mostrou um partido amante do poder, independentemente de quem esteja no comando do município, estado ou país.

A família Barbalho, nos últimos anos, sempre teve dificuldade em convencer o eleitorado de Belém e região metropolitana que suas intenções em alcançar o executivo da capital são as melhores possíveis.

Durante seu mandato em Ananindeua, Helder não fez grande coisa, mas só de não possuir uma mídia extremamente política contra sua administração, qual seja, o Grupo RBA (de sua propriedade e de sua família), já é o suficiente para não sair tão desgastado quanto sairia um mandatário que não possui tal regalia.

A dificuldade que o PMDB possui junto ao eleitorado da capital e região metropolitana faz com que os opositores, principalmente nas eleições em Belém, vinculem o candidato PMDBista à imagem de Jader Barbalho, com o intuito de enfraquecê-lo eleitoralmente. Nas Eleições 2012, o Deputado Priante (PMDB) sofreu na pele tal estratégia e obteve menos votos que o estagiário do Wlad, Jefferson Lima (PP).

Helder está em plena campanha política. Viaja o Pará inteiro promovendo suas reuniões políticas. De segunda à sexta, direciona seu arsenal midiático e faz sua voz ecoar nos quatro cantos do Estado entrando em rede pela Rádio Clube (rádio da sua família) e demais rádios amigas espalhadas pelo interior.

O grupo político ligado do Governo, e consequentemente ao PSDB, não conseguindo administrar e criar estratégias políticas eficientes para contrapor o concorrente, padece com as pesadas críticas externadas pelo radialista Helder Barbalho que, em verdade, apenas utiliza a ineficiência administrativa tucana para tirar proveito eleitoral.

É como o blog sempre fala: é o jogo jogado, simples assim. Cada um luta com as armas que tem. E Helder possui inúmeras armas eficientes.

Em suma, as Eleições 2014 não trarão nenhuma novidade aos eleitores paraenses, pelo contrário, estes terão mais do mesmo. Encontrarão no horário eleitoral as velhas caras prometendo continuar com o árduo trabalho em prol dos mais carentes e blá..blá...blá...  

São as Eleições 2014 a todo vapor.


2 comentários:

Anônimo disse...

Está cada vez mais difícil escolhermos os nossos representantes. O duro é que não temos opção, escolher o menos pior. Como diz aquele velho ditado: trocando o sujo pelo mau lavado. Essa é a realidade dos eleitores paraenses.

Anônimo disse...

Me assusta é ver o Helder barabalho falando em conhecer os problemas do estado se não consegui resolver nem os do municipio que governou deixando-o aos frangalhos, ruas esburacadas, obras sem acabar e vendo ele inaugurar obras que entravam o mobiliário á noite, inauguravam pela manhãa e na mesma noite ás caladas, recolhiam o mobiliário. Esse rapaz é arrogante,. não recebia ninguem na prefeitura enfim....... A coisa tá feia memo.