.....

Pará/Brasil

sábado, 29 de junho de 2013

Dilma: Manifestações derrubam a 30% aprovação do governo da presidente

Dilma Lula Rousseff

O instituto Datafolha ouviu 4.717 pessoas e constatou que a aprovação do governo da pupila de Lula caiu para 30%. A pesquisa foi divulgada hoje, 29, pelo jornal Folha de S. Paulo.


A última avaliação do governo, ocorrida há três semanas, o mesmo possuía uma aprovação de 57%. Agora, após as manifestações nacionais, esta mesma avaliação caiu 27%, transformando-se na maior queda de popularidade da presidente desde o início do mandato. A margem de erro é de dois pontos percentuais.




sexta-feira, 28 de junho de 2013

Lula em: a metamorfose do maior molusco brasileiro


Pois bem, amigas e amigos do Café com Política, passeando pela net o Café encontrou um vídeo em que o ex-presidente Lula (atual presidente de fato do Brasil) mostra toda sua versatilidade argumentativa.

Em determinada fase de sua vida, quando ainda não havia alcançado o poder, mais precisamente no ano 2000, Lulinha paz e amor defendia a tese de que aqueles agentes políticos que distribuíam benesses ao povo o fazia em troca de votos e isso desequilibrava consideravelmente as eleições.

Em verdade, quando o molusco defendia esta tese, o PT ainda não era a potência financeira que é hoje em dia, logo, durante as disputas eleitorais o PT precisava rebolar muito para alcançar parte dos investimentos que eram feitos nas demais legendas, em forma de doação de campanha.

O tempo passou e o PT (leia-se Lula) conseguiu o que queria, chegou ao comando do poder federal. Agora seriam outros quinhentos.

Assim como as nuvens mudam de lugar, Lula tratou de mudar sua forma de pensar e passou a defender veementemente a tese de que o povo precisava sim de uma ajudinha do governo e isso se dava em função da necessidade pela qual este mesmo povo passava, não mais pela mera prática do assistencialismo em troca de votos, como faziam os governos anteriores.

Este Lula ainda vai dar muito que falar para todos nós, simples mortais brasileiros.

Assista ao vídeo abaixo para ver a transformação radical de pensamento do maior molusco do Brasil.







quarta-feira, 26 de junho de 2013

Mais do mesmo: sem participação da população no meio político-partidário nada mudará

Frases das manifestações: "Não adianta você se manifestar como um leão em 2013
e votar como um jumento em 2014"


Visualizando os criativos cartazes que os manifestantes de todo Brasil levam às ruas nesses dias em que o Brasil está se redescobrindo, o Café identificou uma, relacionada à imagem acima, que dizia o seguinte:

“Não adianta você se manifestar como um leão em 2013 e votar como um jumento em 2014.”

Pois bem, em que pese a inteligência do raciocínio acima, o Blog manifesta-se no seguinte sentido: não há muito o que esperar dos novos representantes brasileiros, com o resultado das eleições 2014, caso a sociedade brasileira não passe a dedicar-se à vida político-partidária, incluindo neste pensamento a pré-disposição de candidatar-se a cargos eletivos.

Em outras palavras, é mais ou menos o seguinte: a política brasileira só tomará novos rumos com novos agentes, com agentes realmente comprometidos em atuar em prol de mudanças profundas. Assim sendo, para que os eleitores não continuem votando como jumentos é preciso que tenham boas opções, boas opções de nomes e que estes candidatos tenham paridades de armas, ou seja, que os candidatos tenham as mesmas condições de se mostrarem ao eleitorado, radicalmente diferente do que ocorre nos dias atuais, onde os mais poderosos conseguem sobrepor suas “propostas” sobre aqueles menos favorecidos economicamente.





Desta forma, não há como imaginar que os caciques partidários irão mover uma única molécula em suas estruturas partidárias para apresentar à sociedade/eleitores uma nova roupagem na forma de apresentar os candidatos, é preciso que a sociedade faça igualmente está fazendo hoje em dia nas manifestações, invadindo as fileiras de filiados dos partidos políticos e candidatando-se aos cargos eletivos. Caso contrário, teremos sempre mais do mesmo. 




Democracia: da Grécia antiga aos dias atuais, um breve histórico




Quando falamos em origem da democracia imediatamente lembramos da Grécia clássica, ressaltando-se Atenas como o berço da democracia. Não havia representantes, tampouco eleições. Em suma, existia uma assembleia e todos os cidadãos podiam participar, muito embora cidadãos, em Atenas, representavam, apenas, aproximadamente dez por centos dos habitantes, onde escravos e mulheres não participavam da vida política.

Nas assembleias, os principais assuntos eram debatidos e decididos pela coletividade presente. Essa modalidade foi denominada de democracia direta.

Contudo, atualmente, por óbvio, tal modelo não é o mais adequado, pois a quantidade de cidadãos é radicalmente maior, a extensão territorial de nosso país é gigantesca e o tempo que isso levaria a tornaria ainda mais inconveniente.

O caminho percorrido pelo conceito de democracia não foi linear. A democracia representativa, a qual conhecemos hoje, onde o povo escolhe seus representantes por meio do voto, não foi basicamente uma resposta às impossibilidades advindas da democracia direta, mesmo com o alargamento do conceito de cidadão.

Contudo, há tempos o modelo de democracia representativa vem se demonstrando obsoleto e injusto. Os representantes não conseguem, por inúmeros motivos (entres eles, o pior de todos, o egoísta), atender aos anseios da sociedade. Há uma evidente necessidade de maior conectividade entre sociedade e governo.

É justamente em busca desta maior interatividade que o povo sai às ruas para manifestar-se por aquilo que lhe é de direito, por aquilo que os próprios representantes fizeram questão de deixar registrado no parágrafo único, do art. 1º, da Constituição Federal: “Todo o poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta Constituição.”


sexta-feira, 21 de junho de 2013

Manifestações nacionais: Não, não é por 20 centavos, é por direitos



As manifestações que estão ocorrendo no Brasil iniciaram pelo aumento das tarifas do transporte público, verdade. Porém, há muito os brasileiros vêm acumulando motivos para vomitar sobre os gestores públicos.

Saúde, segurança, educação, são assuntos frequentes em todas as reivindicações e debates, sejam no meio acadêmico, sejam em mesas de bares. Contudo, infelizmente, nossos agentes públicos, responsáveis pelos recursos públicos, ainda não entenderam (na verdade, ainda não sentiram na pele) a necessidade que a população, principalmente mais carente, possui.

Este texto que o Café está produzindo, ou qualquer outro blog, ou outro meio de comunicação possa produzir, ao falar em saúde pública, nunca, jamais conseguirá reproduzir o real sentimento de quem vai a um posto de saúde no meio da madrugada em busca de um médico para socorrer um familiar ou um amigo e encontra uma porta fechada. A angústia pelo descaso é inenarrável.

Caso você, amigo do Café, ainda não tenha vivido esta experiência, o Blog sugere que a tenha e busque marcar uma consulta médica dentro do sistema público de sua cidade. Você verá que a sensação é inacreditável. Inacreditavelmente absurda. Na verdade, é desumana!!!



Pausa no trabalho, blog na ativa



Olá, amigas e amigos do Café com Política, o Blog não poderia ver esse belíssimo momento (salvo raras exceções) pelo qual o Brasil está passando e ficar silente, ignorando os acontecimentos, ignorando a história acontecendo em frente aos nossos olhos.

Desta forma, o blog tentará conciliar as tarefas do dia-a-dia com a algumas postagens referentes às manifestações que ocorrem em todo Brasil e demais acontecimentos políticos de nossa província chamada Pará.