.....

Pará/Brasil

quarta-feira, 31 de julho de 2013

Parauapebas: a criatividade é a alma do negócio



O Café estava passando em frente a mais um novo empreendimento de loteamento instalado na cidade de Parauapebas e avistou uma espécie de tenda que prestava informações e vendas sobre os lotes disponíveis.




Ao aproximar o carro, o blog percebeu que não havia alguém para dar informações, mas, sobre a mesa, existia uma pequena e criativa (e bem humorada) placa que o Café tratou de registrar para apresentar aos nobres cafeinados.





Salinas: Detran à moda Detran



Pois bem, amigas e amigos do Café com Política, quem visitou as praias de Salinas neste verão 2013 percebeu que o Detran foi figura presente no dia-a-dia dos veranistas.

Os agentes se multiplicavam surpreendentemente pelas ruas da cidade. Blitz por todo canto, inclusive nas areias das praias.

O problema, na opinião do Café, não é a presença marcante do Detran, mas sim a forma com que os agentes se comportam. Não há orientações, não há diálogo, há apenas multa, canetada, desorganização, falta de respeito e autoritarismo.

O Café ouviu de um colega que visitou a cidade que fora abordado por um agente de trânsito do Detran, em 24/07/2013 (quarta-feira). O agente o multou e notificou por estar com o retrovisor danificado, estabeleceu 5 dias para regularização e promoveu a retenção da documentação do veículo. O veranista informou que iria regularizar o veículo no mesmo dia e também no mesmo dia retornaria ao Detran para resgatar o documento, pois precisava pegar estrada até sexta-feira, 26/07/2013, para sua cidade, para trabalhar.

O veranista voltou no mesmo dia até o local onde foi abordado e foi orientado a ir até a sede do Detran no dia seguinte, 25/07/2013. Dia seguinte o veranista chegou à sede do Detran e foi informado que o agente ainda não havia levado seu documento e orientaram-lhe retornar no dia seguinte, 26/07/2013, data em que deveria retornar à sua cidade de origem.


Na sexta-feira, 26/07/2013, o veranista retornou à sede do Detran e presenciou seis servidores: um estava atendendo outro veranista e os outros cinco estavam vendo fotos no celular de um deles. 




Ao sentar-se na cadeira de espera e sendo o único cidadão a esperar atendimento, percebeu, por longos 10 minutos, que os servidores continuavam a curtir as fotos no celular do colega de trabalho e ignoravam completamente a sua presença no local. Quando ousou pedir informação sobre o documento de seu veículo foi informado que o agente de trânsito ainda não havia levado o mesmo até sede e que o agente estava em seu direito, pois teria até 5 dias úteis para apresentá-lo na sede.

“Atrevido”, o veranista ousou fazer nova pergunta e indagou se a atendente saberia informar onde ele poderia encontrar o agente responsável pela apreensão do documento para solicitá-lo a imediata devolução, uma vez que a irregularidade já estava sanada, foi quando a atendente respondeu que não poderia fazer nada, que não sabia do local onde se encontrava o agente, que o agente estava no direito dele e que restava ao veranista aguardar o documento chegar à sede para resolver seu problema. Simples assim.

Resumo da história: o veranista conseguiu apanhar o documento apenas na manhã de terça-feira, dia 30/07/2013, precisando faltar vários dias de serviço e gastar o que não tinha para passar o fim de semana em Salinas.


Esse Detran ainda vai matar um governador do coração, e veranistas também.


segunda-feira, 22 de julho de 2013

Programa Minha Casa Melhor: Mais uma compra de votos institucionalizada


O Governo Federal retirou da manga uma carta para fidelizar, ainda mais, os beneficiados com o programa Minha Casa Minha Vida: o Programa Minha Casa Melhor.

O Programa dará acesso aos beneficiados do Programa Minha Casa Minha Vida a uma linha de crédito Minha Casa Melhor, financiado pela Caixa Econômica Federal, no limite de até R$ 5.000,00 (cinco mil reais), para adquirir móveis e eletrodomésticos.

Aquele que aderir ao crédito terá até 48 meses para pagar, através de boleto bancário ou débito em conta.


Na opinião do Café, tal linha de crédito é muito bem vinda, pois sabe-se que o sonho da casa própria fica ainda mais completo com a inclusão do conteúdo da residência, porém, o que não se admite é a forma política com que estes programas são manuseados.



Helder Barbalho: o pré-candidato que virou radialista ou o radialista que virou pré-candidato?



Dando continuidade ao seu projeto político, visando as Eleições 2014, e na tentativa de massificar sua imagem em todo o Estado, Helder Barbalho (PMDB) tratou de virar radialista em uma das rádios de sua família, a Rádio Clube, e criou o “Programa do Helder”.

O Programa do Helder é bem interessante e tem certa semelhança com a rede de farmácias Big Ben, que vende até remédio. Pois bem, no Programa do Helder também tem de tudo, até música, incrível.

Para quem gosta de política e tem alguma simpatia pelo PMDB e pelos Barbalhos o programa causa grande euforia, porém, para quem tem o PMDB e Barbalhos como adversários vê o programa como uma verdadeira arma nuclear pronta a explodir a qualquer momento.


Estrategicamente, foi criada uma extensão do Programa do Helder com a nomenclatura: “Programa Helder no meu bairro”. Este novo programa leva vários benefícios aos moradores dos bairros da capital e interior do Estado, numa verdadeira ação global. O programa é, ainda, potencializado pelos outros veículos de comunicação do grupo RBA, como jornais televisivos, impressos e sítios, como se vê no exemplo abaixo:





Recentemente, o Café fazia o percurso Parauapebas-Eldorado do Carajás e, num raro momento em que ouvia rádio, percebeu que a emissora oriunda de Curionópolis, denominada Liderança FM, ligada ao grupo político do prefeito Chamonzinho, também pertencente ao PMDB, fazia uma espécie de conexão com a Rádio Clube de Belém e permitia que o Programa do Helder fosse transmitido em rede para toda a região que a rádio Liderança alcança.


A combinação do conteúdo do programa com a extensão territorial que o mesmo abrange é de acender a luz vermelha, principalmente, dentro do ninho tucano.





Dizem os apoiadores do governo estadual que trata-se de uma genuína campanha eleitoral, recheada de captação ilícita de votos - mesmo fora do período eleitoral - porém, disfarçada de programa de rádio. Por outro lado, aqueles que apoiam Helder dizem que trata-se, apenas, de um evento da Rádio Clube e, consequentemente, do radialista nato Helder Barbalho.

Pelo sim, pelo não, o Café faz a presente postagem para que o amigo cafeinado tenha sua própria conclusão. (Até rimou)


São as Eleições 2014 a todo vapor.






domingo, 21 de julho de 2013

Helder Barbalho (PMDB): propaganda, pra que te quero?

Outdoor de Helder Barbalho (PMDB), em Curionópolis

A necessidade de manter a imagem sempre viva na memória do eleitorado é preocupação constante de todos aqueles que almejam cargos eletivos e todos os agentes políticos, de uma forma ou de outra, criam alguma situação para poder divulgar suas respectivas imagens ao distinto público.

Para tanto, são criadas as mais diversas manobras publicitárias, sempre tendo o cuidado de driblar a fiscalização dos juízes eleitorais devido a caracterização da propaganda extemporânea, o que resulta em algumas brandas multas eleitorais que, ao final, compensam bastante, tendo em vista o retorno político alcançado.

Passando por Curionópolis, o Café observou mais uma peça publicitária que estampava a imagem do ex-prefeito de Ananindeua, Helder Barbalho (PMDB), herdeiro do trono do pai, Jader Barbalho, junto ao PMDB, e decidiu tirar uma foto pensando na presente postagem.

Em vários municípios, da capital ao extremo sul do Pará, outdoor's exibem a imagem de Helder Barbalho e acrescentam alguma frase que ligue o pequeno príncipe à cidade que se encontra a peça publicitária, mesmo que lá nunca tenha pisado o ilustre Barbalho.

Acontece que Helder está vendendo aos quatro cantos do Estado que é o candidato ao governo do estado pelo PMDB e, para tanto, precisa massificar sua imagem e ordena que os militantes pmdbistas levantem esta bandeira.

Percebe-se que as sentenças dos julgados eleitorais vêm, reiteradamente, multando os agentes políticos que antecipam suas campanhas por meio de outdoor, porém, a prática continua desenfreada e os benefícios obtidos são muito maiores que as singelas multas.

Este tipo de manobra política/jurídica faz com que as significativas mudanças ocorridas na legislação eleitoral, como a proibição de outdoor em campanha eleitoral e promoção de showmício, por exemplo, não surtam efeitos e o desequilíbrio de armas nos pleitos eleitorais continue prevalecendo.

Observe que no outdoor há apenas a seguinte mensagem: “Parabéns Curionópolis – Helder Barbalho”. Nela, não há a data, tampouco motivo dos parabéns. Sabe-se lá quando esta placa foi colocada e quando será retirada. Em outras cidades o blog percebeu que haviam frases invertidas, ou seja, era o município que parabenizava Helder Barbalho, talvez fosse pelo seu aniversário, mas o certo é que esse bate-bola (Helder para município / município para Helder) pode ocorrer até próximo das eleições e o prejuízo eleitoral já estará garantido.

São as Eleições 2014 a todo vapor.


Outdoor de Helder Barbalho (PMDB), em Curionópolis

sábado, 20 de julho de 2013

Eleições 2014 (Pará): PMDB rompe com PSDB (parte I)



Pois bem, amigas e amigos do Café com Política, como todos sabem, as articulações políticas nunca param e sempre surpreendem aqueles que participam ativamente dos bastidores políticos ou apenas assistem o andar da carruagem.

Faz algum tempo que o PMDB do Pará, eternamente capitaneado pelo Senador Jader Barbalho, e, recentemente, também pelo seu herdeiro político, Helder Barbalho, vem utilizando sua principal e eficaz ferramenta política para bater no governo estadual.

Como é de conhecimento público, Jader e Helder, e porque não dizer o PMDB, são proprietários de uma das duas maiores mídias do Pará, o Grupo RBA de Comunicações, o qual possui TV, rádios, jornal impresso, sítio e demais ferramentas do gênero que são capazes de levantar ou destruir a imagem de qualquer mortal.

Historicamente, o Grupo RBA, como não poderia deixar de ser, sempre foi direcionado para o alvo que seus proprietários almejassem, defendendo aliados e destruindo desafetos.


Recentemente, mesmo ainda pertencente à base aliada, o PMDB, leia-se RBA, passou a patrocinar fortes empreitadas contra o governo estadual, que tem Simão Jatene (PSDB) a frente do comando. Os ataques culminaram na retirada definitiva do PMDB do grupo considerado aliado junto à Assembleia Legislativa do Estado do Pará (Alepa).


Eleições 2014 (Pará): PMDB rompe com PSDB (parte II)



O maior defensor do rompimento do PMDB com o PSDB, ao que parece, é o nobre Deputado Estadual Parsifal Pontes (PMDB), o mesmo que defendeu veementemente a ruptura com o governo da petista Ana Julia, tudo por conta da falta de atenção especial que ambos os partidos (PT e PSDB) deram aos pmdbistas, dada a importância do PMDB dentro da Alepa, entre outras coisas.

O Café expõe o presente raciocínio tendo como base as várias postagens e comentários, referentes ao tema, oriundos do blog do próprio Deputado Parsifal, o qual o Café tem o prazer de visitar diariamente.


Pois bem, com a saída do PMDB da base aliada do governo estadual, naturalmente “sobrará” espaços para que novas legendas, até então não contempladas, possam aderir ao governo tucano e lutar com melhores condições de igualdade por um lugar ao sol nas próximas eleições estaduais, como é o caso do PP e PTB, por exemplo.



quarta-feira, 3 de julho de 2013

Alagoas: Depois da “cura gay”, Governador Teotônio Vilela inaugura hemocentro para curar homofóbicos



Pois bem, amigas e amigos do Café com Política, após tantas polêmicas por conta do projeto apelidado de cura gay, o Governador de Alagoas, Teotônio Vilela (PSDB), inovou e tratou de providenciar um tratamento, ou melhor, a cura, mas desta vez a cura é para os homofóbicos¹.

O distinto Governador, ao inaugurar um hemocentro², falou em entrevista que a obra seria importante para colaborar no tratamento dos homofóbicos, hemofóbicos e hemofílicos³.

Hemofóbicos, por certo, é um neologismo criado pelo Governador, ou seja, o mesmo acabara de criar uma nova palavra em nosso português.



___________________________________
¹ Aquele que tem aversão ou rejeição a homossexual e a homossexualismo (Fonte: http://michaelis.uol.com.br/)
² Hemocentro é uma instituição com finalidade de prestar assistência hemoterápica e hematológica, recrutar doadores, processar o sangue, realizar testes, armazenando e preparando-o para transfusão. (Fonte: Conceito retirado do artigo denominado: Impactos da Implantação do Sigh no Núcleo de Hemoterapia de Resende, encontrado no sítio: http://www.aedb.br/seget/artigos08/486_SiGH.pdf.).
³ Acometido de hemofilia, a qual vem a ser uma anomalia do sangue caracterizada por um retardamento ou ausência de coagulação (tempo de coagulação prolongado), em que a menor ferida pode dar origem a uma grave hemorragia. (Fonte: http://www.dicio.com.br)