.....

Pará/Brasil

sábado, 26 de abril de 2014

Eleições 2014: os candidatos ao governo do Pará

As eleições se aproximam e as articulações políticas vão ficando cada vez mais intensas. As bases precisam ser montadas. As conversar passam a ficar mais sérias. Cada foto publicada é motivo para inúmeras especulações. Tudo faz parte do processo.

Por enquanto, nada está sendo articulado com o povo, apenas entre os agentes políticos. Somente a partir de 6 de julho, quando os candidatos estão autorizados por lei a pedir voto, é que saberemos o rumo das coisas.

Até data recente, os principais candidatos ao governo do Pará eram Jatene, que pleiteia a reeleição, e Helder Barbalho, que há tempos havia desenhado essa candidatura, muito antes de ser eleito prefeito de Ananindeua e ter nomeado como assessor especial o então pré-candidato a prefeito de Santana do Araguaia, Eduardo da Machado (PMDB).

Contudo, recentemente, entrou nessa relação de pré-candidatos ao governo do Estado o ex-prefeito de Belém, Duciomar Costa (PTB), que, críticas à parte, já comprovou várias vezes ser bom de voto.

Jatene, depois de uma crise existencial se seria ou não candidato à reeleição, decidiu o que todos já sabiam: será sim candidato.

Helder Barbalho já está em campanha desde que nasceu, na verdade, Jardi o criou pensando nisso. Será uma grande satisfação pessoal conseguir eleger seu filho ao cargo mais relevante do Estado.

Duciomar, após o fim de seu desgastante segundo mandato de prefeito, foi descansar em São Paulo e atualizar seu inglês no exterior.

O certo é que, muito provavelmente, um desses três pré-candidatos será o novo governador do Pará a partir de janeiro do ano que vem.

Abaixo, a imagem dos três principais candidatos ao governo do Pará e as fotos de suas atividades políticas mais recentes:  



Ângela Pereira (Vice-prefeita de Parauapebas), Duciomar Costa e
Antônio Massud (ex-vereador de Parauapebas), todos do PTB



Helder Barbalho (PMDB), em visita ao
Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Abaetetuba



Dilma Rousseff (PT) e Simão Jatene (PSDB)








sexta-feira, 18 de abril de 2014

Parauapebas: Prefeito Valmir Mariano vira garoto propaganda de seu próprio governo na tentativa de melhorar sua imagem de gestor inoperante

Prefeito Valmir Mariano
Mais perdido que cupim em metalúrgica, o prefeito de Parauapebas está tentando, inutilmente, melhorar sua imagem junto ao eleitorado local rasgando a Constituição Federal e brincando mais uma vez com o dinheiro público se colocando como garoto propaganda de seu desastroso governo.
Entra gestor, sai gestor, e o povo brasileiro continua vendo as mesmas peripécias com os recursos públicos que deveriam ter destinação pública, ou seja, para a melhoria da coletividade. Mas não! Em Parauapebas, o prefeito resolveu exibir seu belo maxilar para os eleitores lembrarem que aqui existe um prefeito, mesmo que de direito, pois de fato está difícil.
Onze em cada dez pessoas que conversam, ou tentam conversar, com o prefeito Valmir Mariano percebem que ele não possui uma memória sólida, capaz de lembrar o que disse nos 10 minutos anteriores. Essa característica, entre tantas outras, o faz um ser gestor sem comando, visto que seus subordinados também não depositam crédito em suas palavras.
Um ano e quatro meses após sua posse, o prefeito Valmir Mariano conseguiu a façanha de se transformar em uma figura completamente apagada e sem prestígio, tanto no meio político-partidário, quanto junto à sociedade que acreditou que ele seria realmente a mudança. Mas isso é assunto para outras postagens. Agora vamos nos dedicar à nova mania do gestor municipal.

DA TENTATIVA DE PROXIMIDADE COM O ELEITORADO

Garoto Cepacol

Pois bem. Alguém convenceu o prefeito Valmir Mariano que ele mudaria sua imagem perante o eleitorado se estivesse mais próximo das comunidades, inclusive dos mais carentes, dos mais pobres, justamente a maioria do eleitorado.
Mas aí veio a grande dúvida: como fazer isso se o prefeito Valmir Mariano não gosta de pobre, tem horror em abraçar uma pessoa de poucas posses, pois pode sujar sua camisa de grife e ficar com o odor do suor de pessoas humildes???
Na tentativa de sair dessa inglória missão, a assessoria encontrou a seguinte solução: vamos colocar o prefeito nas publicidades institucionais da prefeitura e, assim, ele entrará nas casas dos ricos e dos mais humildes da cidade, sem precisar abraçar, pegar na mão e tomar café com borra do dia anterior, simples assim.
O prefeito Valmir Mariano viraria uma espécie de Garoto Cepacol da própria administração, do próprio (des)governo.
E assim está sendo feito. O prefeito Valmir Mariano utiliza dinheiro público para se autopromover, incorrendo em ato de improbidade administrativa por quebra do princípio da impessoalidade, colocando pessoas das comunidades para dar declarações que “ele, o prefeito, está de parabéns por fazer aquela determinada obra”.

E O POVO, COMO FICA?

Povo de queixo caído

Mas aí vem a pergunta mais importante a ser respondida pela competente assessoria do prefeito Valmir Mariano: e o povo, como fica?
Bem, o povo? O povo fica como sempre fica, de queixo caído e sem os serviços públicos essenciais. Sem obras que beneficiem a população, que melhorem, efetivamente, a vida da grande massa. Em uma cidade rica como Parauapebas, é uma vergonha assistir um governo gastar mais com publicidade do que com a própria obra a ser inaugurada.
É vergonhoso ver um (des) governo que possui um orçamento de mais de um bilhão de reais em mãos, fazer festa para inaugurar uma simples ponte para meia dúzia de assessores presentes na festa. Festa que não contou com a participação popular pelo simples fato de ser o reflexo de tanta incompetência administrativa.


sábado, 12 de abril de 2014

Lula: o filho da...., digo, do Brasil.........



Antes de começar o texto abaixo, o Café deixa claro que também é culpado por tal situação, pois votou duas vezes nesse cidadão que consegue, absurdamente, externar tal pensamento. Viva à internet, que nos proporciona momentos épicos como esse.

Pois bem, o ex e atual presidente Lula acredita que é um absurdo as pessoas acreditarem que o Brasil não pode fazer uma olimpíada só pelo simples e insignificante fato de não possuir hospital, ora pois.


Ora, o Café pegunta: para que serve os hospitais públicos que o Lula tenta colocar como algo insignificante no cenário brasileiro, em comparação com a enorme e lucrativa visibilidade que o Brasil terá com a realização da Copa do Mundo?


Realmente, sabe, talvez para o Lula, que não utiliza os serviços dos hospitais públicos do país, não possuir um hospital padrão Fifa não tem tanta importância, sabe?!

Porém, para cada pessoa e cada familiar de quem precisa utilizar os serviços da saúde público no Brasil sabem muito bem, Senhor presidente Lula, o quanto seria importante ter hospitais mais humanizados, mais dignos, que pudessem ter a atenção, dedicação e investimento que o governo federal emprega nos estádios da Copa do Mundo, sabe?!


Sabe, presidente, seria muito bom se o senhor pudesse fazer esse mesmo discurso em frente aos hospitais públicos espalhados pelo Brasil. Como a popularidade que o senhor ainda possui, talvez possa conseguir convencer os enfermos e seus familiares a compreender que aquela situação de horror que eles pensam que estão passando dentro do hospital na verdade é uma coisa boa, sabe?!

O senhor, presidente, com seu discurso simples, de homem do povo, que sempre lhe aproximou do eleitorado, talvez seja o único ser humano capaz de convencer essas pessoas que são, diariamente, humilhadas nas filas dos hospitais públicos que essa tal realidade, na verdade, é algo tão pequeno perto da importância que a Copa do Mundo no Brasil, sabe?!

O Café, sabe, senhor presidente, acredita que o senhor não foi feliz nas suas palavras, de novo outra vez, sabe?! O senhor, como tantas outras vezes, tropeçou na própria língua, falou tudo o que não devia, falou asneira, bobagem, loucura. O Café lembrou da frase do capitão Nascimento, no filme Tropa de Elite, que cabe muito bem para o senhor nesse momento: “o senhor é um fanfarrão”.

Sabe, presidente, a Copa do Mundo que o senhor defende com unhas e dentes, ao mesmo tempo menosprezando todos os sentimentos de angústia, dor e sofrimento das pessoas que utilizam os serviços de saúde pública no Brasil, vai lhe passar uma fatura logo após seu término, pois a partir daí, em julho deste ano, é que o senhor vai entender a seriedade da asneira que está falando nesse momento.


Sabe, presidente, sei que o senhor não está preocupado com o resultado eleitoral das possíveis intensas manifestações que ocorrerão no período da sua Copa do Mundo, pois o senhor vez muito bem a amarração dos votos pelas “bolsas”, nem mesmo o Café está aqui defendendo bandeira política de quem quer que seja, mas apenas externando sua opinião sobre algo tão absurdo externado por um ex-presidente e, de fato, atual presidente do país.

O derrame de verba pública nos estádios é gigantesco, e para que? Para a realização de dois ou três jogos, dois ou três jogos que só poderão ser assistidos pelos patrocinadores do evento, salvo raras exceções de alguns mortais que conseguiram, a um preço bem salgado, comprar um ingresso. Tudo para inglês ver.

Mas é isso, presidente, sabe?! O senhor é gente grande, vacinado e ainda tem ao seu lado um grande capital político. Mas o Café faz questão de deixar registrado aqui sua indignação com pensamento tão desumano.





E para facilitar aos amigos cafeinados o entendimento do que fora dito pelo Lula, o Café transcreve abaixo uma parte da estupidez externada pelo presidente, a saber:


“...Então o que eu acho é que nós precisamos fazer disso um motivo de orgulho po nosso país.... agora tem gente que acha que não, NÃO PODE FAZER OLIMPÍADA PORQUE NÃO TEM HOSPITAL...sabe...olhe, sinceramente, eu acho isso....acho isso um retrocesso, sabe, enorme, acho que a gente tá jogando fora uma oportunidade de fazer de uma coisa boa uma coisa boa, sabe, as pessoas querem fazer de uma coisa boa uma coisa ruim.” (Luiz Inácio Lula da Silva).





Publicado em 31/03/2014
Entrevista exclusiva concedida à TVT, Jornal ABCD Maior, Tribuna Metalúrgica, Rede Brasil Atual, Rádio Brasil Atual e Revista do Brasil.

sexta-feira, 11 de abril de 2014

O caminhar da humanidade



Como todos sabem, o ambiente político-partidário é um terreno argiloso. Diariamente, os agentes políticos proporcionam materiais em abundância para os telejornais, expondo as infecções intestinais de um aparelho político ultrapassado há tempos.

Os agentes político ensaiam cenas teatrais cada vez mais bem elaboradas. Textos decorados, palavras bem colocadas, assessores bem informados para rapidamente instruir Suas Excelências.


Importantes autoridades respondem situações alarmantes com uma técnica indefectível, como se estivessem formatados para tanto. Tudo muito lindo para ir ao ar. Porém, mazelas insustentáveis continuam a proliferar pelo mundo e aqueles homens que poderiam fazer algo de mais efetivo teimam em ignorar tais situações, apenas lucrando política e financeiramente com elas.


O homem já deveria ter evoluído o suficiente para entender que é possível que todos que na terra habitam têm o direito de dispor do mínimo para viver dignamente. Não dá para entender tanta ganância, tanto ódio, tanta vingança, tanto desprezo, tanta covardia, tanta humilhação.

Diariamente, milhões de pessoas passam fome pelo mundo, enquanto outros milhões de pessoas desperdiçam toneladas e mais toneladas de alimentos. Diariamente, tem-se inúmeros casos tipo Petrobrás espalhados pelo mundo onde dinheiro público, em quantidade suficiente para mudar a realidade de uma sociedade inteira, é desviado e tudo parece tão normal que quando se tem uma matéria de bom exemplo na tv brasileira é motivo para se emocionar em frente à tela.


Os valores estão invertidos, radicalmente. Os mafiosos famosos viraram estrelas, por star, astros das telinhas, e os mocinhos ficaram fora de moda.



Não se sabe onde o mundo chegará, ou se chegará. O certo é que o caminho que está trilhando, boa coisa não encontrará. Mas há tempo para mudar? O Café acredita que sim. Basta que cada um faça sua parte.

O Café decidiu que a partir de hoje passará a realizar um sonho antigo de colaborar, silenciosa e discretamente, com as ações sociais da igreja católica. Acredita o Café que não basta externar pensamentos socialmente corretos, críticas construtivas ou mesmo apontar o dedo para esse ou aquele se, de fato, não faz sua parte, saindo da zona de conforto e partindo para a prática.

Por certo, a soma de cada atitude de cada amigo cafeinado fará toda a diferença ao final. Não importa se você conseguiu ajudar e mudar a realidade de uma cidade, um bairro, uma comunidade, uma rua, uma família, ou mesmo a si próprio. Na verdade, promover a mudança de cada um de nós é, com certeza, a maior e mais importante de todas as mudanças que se pode conseguir no planeta.
Por isso é que o Café conclui: “Mude o mundo, mude você!”


sábado, 5 de abril de 2014

Eleições 2014: Duciomar Costa (PTB) é pré-candidato ao cargo de governador do Pará


Dep. Josué Bengtson, Duciomar Costa e Noberto Martins

Duciomar Costa, ex-vereador de Belém, ex-deputado estadual, ex-senador da República e ex-prefeito de Belém, por dois mandatos, apresentou à diretoria nacional do PTB seu projeto para o pleito 2014, tendo seu nome como pré-candidato ao governo do Estado.

No site do PTB, encontra-se um texto que fala sobre o assunto dizendo que o deputado Josué Bengtson, atual presidente do PTB-PA, apoia o projeto e sugeriu ao Duciomar que, imediatamente, desse início às conversas com líderes no Estado a fim de consolidar sua campanha eleitoral.

Pois bem, soa estranho o deputado Josué Begtson externar seu “apoio” ao pré-candidato e ter o orientado a iniciar as conversas com líderes no Estado, sendo que, de forma contraditória, visita vários municípios em seu avião particular e ignora a existência das lideranças petebistas locais, ou seja, em nada contribui para ajudar a aumentar a viabilidade de tal pré-candidatura.

Enfim, o deputado deve saber o que está fazendo. Mas fica a dúvida: será que ele cobrará a fidelidade partidária das diretorias municipais se ele mesmo, como presidente estadual, em nada contribui para unir um partido que há muito está esfacelado? Fica a dúvida.


Abaixo o texto publicado no portal do PTB:

"PTB apoia projeto de Duciomar Costa de disputar governo do Pará
Ex-presidente do diretório do PTB do Pará, ex-prefeito de Belém e ex-senador da República, o petebista Duciomar Costa apresentou à direção nacional do PTB o seu projeto de disputar a chapa majoritária na eleição ao governo do Estado.

Duciomar visitou o Diretório Nacional do PTB, em Brasília, nesta quarta-feira (2/4/2014), e recebeu apoio dos dirigentes do partido para concorrer ao pleito estadual, entre eles do presidente nacional do PTB, Benito Gama, e de Norberto Martins (secretário-geral).

Presente na reunião, o presidente do PTB-PA, deputado federal Josué Bengtson, também apoiou o projeto de Duciomar, e solicitou que o pré-candidato desse início, imediatamente, às conversas com líderes no Estado a fim de consolidar sua campanha eleitoral."