.....

Pará/Brasil

sábado, 21 de junho de 2014

Pará, meu Pará, como te quero bem....



A eleição que se aproxima poderia ser apenas mais uma entre tantas outras que virão. Os novos-velhos governantes que assumirão ou continuarão (ou vice-versa) no poder já são figuras carimbadas do eleitorado paraense. Mas esta postagem não tratará de personagens específicos que disputarão mandatos no dia 5 de outubro próximo.

O Café queria apenas externar a cada cidadão paraense, seja político, empresário, estudante, jornalista, blogueiros, dona de casa, enfim, todos aqueles que constroem diariamente este gigante chamado Pará, para olhar com carinho as coisas belas que este Estado tem a oferecer a todos seus filhos, sejam os que aqui nasceram, sejam os que fizeram desta terra a sua morada, mesmo que provisória.

Para o mundo, o Brasil não quer mais ser o país do futuro, mas sim o país do presente. Em relação ao Brasil, o Estado do Pará não pode mais ser visto como um simples produtor de matérias primas, abençoado com belezas naturais e com onças pintadas andando pelas principais avenidas das cidades. Basta!

O paraense, aquele que faz o Pará diariamente, precisa respeitar este Estado. Respeitar este Estado significa respeitar, principalmente, seu povo, suas crianças, seus jovens e idosos. Respeitar este Estado significa dar a atenção devida para esta e futuras gerações, investindo com seriedade na educação e saúde do povo. Isso não é favor, é obrigação de cada um de nós.

Os governantes que hoje se encontram no poder precisam entender que não são donos deste poder, pois “todo o poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta Constituição”, conforme Parágrafo único, do art. 1º, da Constituição Federal.

E todos aqueles que alcançarem o poder a partir de 5 de outubro precisam entender a mesmíssima coisa, pois assim como entraram podem sair. Não tem mais cabimento aceitar velhas práticas de certos mandatários.

A Constituição Federal citada acima, por sinal, fora conquistada a com muita luta, muito sangue e muitas vidas, o que demonstra que o povo brasileiro, incluindo o paraense, sabe falar alto quando precisa. É bom que fiquem atentos.

O povo paraense não quer mais ser o Estado do futuro, quer ser o Estado do presente! O Estado que investe o que é do povo no povo e para o povo.
Por certo, temos muito a amadurecer politicamente, mas também é certo que já tivemos melhorias. Mas não é suficiente, não mesmo.

O Café anexa à postagem, a belíssimo música do Mosaico de Havena, denominada “Belém, Pará, Brasil”, uma espécie de hino alternativo do Pará, que fez muito sucesso nos anos 90.

sábado, 14 de junho de 2014

Dilma, Lula, Copa, Indignação Popular, Vaias e Insultos






Muito mais que disputa eleitoral, as vaias recebidas pela presidente Dilma Roussef na abertura da Copa do Mundo, no último dia 12 de junho, significam o gritante inconformismo que o povo brasileiro tem em relação à condução do país.

Não dá mais para aceitar pacificamente tanta desfaçatez, tanto cinismo, tanta cara de pau!

Governos incompetentes e insensíveis que, ao longo dos anos, desde os tucanos até os petistas atuais, não conseguem promover as modificações estruturais que o Brasil precisa, trabalharam diuturnamente e conseguiram a liberação de bilhões e bilhões de verbas públicas para as obras faraônicas determinadas pela Fifa.

Contudo, a eficiência empregada para dar dinheiro do povo brasileiro para a Fifa não é a mesma quando o objetivo é fazer um simples hospital público possuir médicos e medicamentos suficientes para o atendimento do dono do dinheiro: o povo.

Imaginar que bilhões de reais foram investidos em dois estádios que receberão dois ou três jogos, como são os casos de Manaus e Brasília, realmente é algo que merece sim o ecoar de incansáveis vaias.

Lula chama o povo brasileiro de “moleque”

O ventríloquo Lula, por sua vez, durante discurso no lançamento da pré-candidatura de Elmano (PTB) ao senado e do senador Wellington Dias (PT) ao governo do Piauí, em Teresina, dia 13 de junho, tentando defender sua bonequinha, externou: Os responsáveis por aqueles xingamentos contra uma mulher e uma presidente são moleques.”

Antes de Lula chamar o povo brasileiro de moleque, seria interessante que ele fizesse uma rápida retrospectiva para entender tamanha indignação do povo brasileiro.

Mensalão, Valerioduto, Petrobras, Copa do Mundo etc etc etc são alguns poucos exemplos marcantes que tiram qualquer um do sério.

Marketeiros

Os Mágicos de Oz que orientam o passo-a-passo de Dilma diagnosticaram que o clima não era propício para ela fazer a abertura oficial da Copa do Mundo, porém, não a impediram de comparecer no estádio, o que foi suficiente para receber uma pequeníssima amostragem de como anda o humor dos brasileiros para tamanha farsa.

“Hei, Dilma, vai comer jambu.”

Certo mesmo, meus caros amigos cafeinados, é que, muito embora o povo brasileiro tenha gritado ao mundo seu inconformismo, Dilma, Lula e Cia cantam pelos corredores do Palácio do Planalto, diariamente, há mais de dez anos, o seguinte refrão:

“Hei, povo, tu vai continuar tomando no **”

domingo, 8 de junho de 2014

Eleições 2014: articulações e bastidores

 Duciomar Costa (PTB) fez o lançamento de sua pré-candidatura ao Governo do Estado em Parauapebas, no último dia 31 de maio.



Com a entrada de Duciomar, o Dudu, no pleito 2014, inevitavelmente, o tabuleiro político estadual sofrerá significativas mudanças. Duciomar não precisa demonstrar a gregos nem troianos que é bom de votos. Tanto é assim que caciques de PMDB e PSDB tentam convencer Dudu a sair candidato ao senado e deixar a briga do executivo permanecer polarizada. Mas Dudu não demonstrou nenhum interesse em abrir mão de sua candidatura ao governo. Pelo contrário, está muito otimista e acredita que muita água ainda passará sob esta ponte até as convenções partidárias e boas notícias surgirão na caminhada petebista até 5 de julho, quando possivelmente serão apresentadas as atas no TRE.



PTB apresenta a vice-prefeita de Parauapebas, Ângela Pereira, como pré-candidata ao cargo de deputada estadual.



Duciomar Costa, presidente estadual do PTB-PA, e deputado Josué Bengtson, vice-presidente estadual, aproveitaram o evento em Parauapebas para apresentar aos filiados presentes que a vice-prefeita, Ângela Pereira, colocará seu nome para ser apreciado em convenção partidária para o cargo de deputada estadual.

Após boicote do ver. Josineto Feitosa (SDD), evento do PTB foi realizado no ginásio do Colégio Amazon.

Após exigir pedido escrito da assessoria do PTB sobre pedido de liberação do auditório da Câmara municipal para a realização do evento do partido, o vereador Josineto Feitosa, presidente do Poder Legislativo municipal, mandou um assessor responder, às vésperas do evento, que não poderia liberar o espaço. Detalhe: não informou qualquer justificativa e não teve a sensatez de também usar uma folha de papel para responder, determinando ao seu assessor informar a negativa apenas de forma verbal.
No final das contas, a assessoria do PTB percebeu que a tentativa de boicote do vereador foi positiva para o evento, pois a Câmara Municipal não suportaria tanta gente em seu auditório.

PSDB Parauapebas promove encontro municipal no auditório da Câmara Municipal

Sem tentativa de boicote do vereador Josineto Feitosa, o presidente municipal do PSDB, Zé Rinaldo, conseguiu realizar no auditório da Câmara Municipal encontro do partido e contou com a presença do deputado federal Wandenkolk Gonçalves e da convidada Ângela Pereira, vice-prefeita de Parauapebas, do PTB.

Zé Rinaldo também teve seu nome colocado à disposição do partido para, caso aprovado em convenção, disputar o cargo de deputado estadual.

No evento, deputado Wandenkolk relatou uma curiosidade das eleições municipais de 2012, em Parauapebas. Segundo o deputado, inicialmente, a ideia era realizar pesquisa eleitoral para saber quem encabeçaria a chapa majoritária e quem seria o vice, entre Zé Rinaldo e Valmir da Integral. Porém, após as pesquisas, Valmir da Integral teria comentado que se eles não viessem abrir espaço para outros grupos políticos e com maior poder de mobilização, correriam sério risco de perder as eleições, foi então quando o PTB teria garantido seu espaço na chapa majoritária.




O Café acreditava que nunca antes na história desse país esse momento pudesse ter existido. Porém, o prefeito Valmir da Integral (PSD) já teve sim seu momento de lucidez política. É bem verdade que foi num momento que só o beneficiava. Mas ocorreu.